Portal da Cidade Pontal do Paraná

ilha do mel

Entrevista com o Presidente da Associação dos Comerciantes da Ilha do Mel

Carlos Gnatta é empresário na Ilha do Mel há 28 anos e atualmente exerce o cargo de Presidente da ACOIM/Rede Empresarial

Postado em 13/09/2020 às 12:28 |

(Foto: Arnaldo Alves)

Carlos Gnatta é empresário na Ilha do Mel há 28 anos e atualmente exerce o cargo de Presidente da ACOIM/Rede Empresarial - Associação dos Comerciantes da Ilha do Mel. Nessa entrevista ele discorre sobre os meses de pandemia e apresenta um olhar sobre a preparação para a reabertura, que acontecerá no dia 20 de setembro.

Portal da Cidade - Quantas empresas e profissionais foram afetados com o fechamento da Ilha do Mel?

Na ilha são mais de 200 pequenas e microempresas diretas. Se considerarmos as empresas de barcos, os estacionamentos e o comércio no entorno do Terminal de Embarque de Pontal do Sul, os próprios comerciantes do terminal, os fornecedores de Pontal, Paranaguá e dos pescadores de outras ilhas que abastecem os restaurantes e pousadas, somando tudo deve passar facilmente de 400 empresas envolvidas nas atividades turísticas desta parte da região. Calculamos que a pandemia afetou mais de 1000 trabalhadores diretos e indiretos, sem contar os autônomos.

Portal da Cidade - De que maneira os empresários estão sobrevivendo durante o período em que a ilha está fechada?

Até o dia 20/09 que é a data da reabertura, serão 6 meses fechados, sem trabalhar e sem ter faturamento. Vocês conseguem entender isso? Imaginem se vocês que estão lendo essa matéria ficassem sem receber o seu salário durante 6 meses. Como estaria a vida de vocês e de suas famílias? Com certeza desesperados para voltar ao trabalho e a vida normal. Nós os empresários tivemos que nos adaptar, fomos obrigados a demitir uma parte ou todos os funcionários. Para os que ficaram, algumas empresas conseguiram colocar no programa do Governo Federal, o qual pagou durante um período uma parte do salário. Outros tiveram que reduzir o salário. O custo da empresa teve que ser pago mês a mês, água, luz, telefone, internet, alimentação, impostos, contabilidade. Não recebemos auxílios nem ajuda do Governo Federal, Estadual ou Municipal, não recebemos doações, atendimentos ou treinamentos. Fomos obrigados a fazer empréstimos para aqueles que conseguiram cumprir com a burocracia ou nos socorremos com a família.

Portal da Cidade - Porque a Ilha não reabriu na mesma data que os Parques Estaduais, já que dentro da lei é considerada um deles?

A ilha não reabriu junto com os Parques Estaduais porque não existe ainda a estrutura de parque na ilha. O parque é uma porção ambiental e não urbana. Esta foi a resposta que tivemos do IAT (Instituto Água e Terra).

Portal da Cidade - Quais são os protocolos de segurança definidos para a reabertura da Ilha do Mel?

Desde abril a ACOIM vem trabalhando em função da reabertura. Em 22/04 criamos o nosso Protocolo de Procedimentos de Segurança ao Covid-19. Em seguida informamos as Prefeituras de Paranaguá e Pontal do Paraná, solicitando a aprovação do Protocolo e a instalação de estruturas públicas como as barreiras sanitárias e fiscalização dos terminais de embarque e desembarque para a Ilha do Mel. Em junho fizemos a adesão aos protocolos do Ministério do Turismo e aderimos ao Selo do Turismo Responsável - Limpo e Seguro. Em agosto participamos de um grupo de trabalho composto pelas Prefeituras de Paranaguá e Pontal do Paraná, Governo do Estado, ACOIM/Rede Empresarial, EMILIAS - Associação das Mulheres da Ilha, ABALINE e ANIMPO - Associação dos Nativos da Ilha do Mel. Este grupo definiu em 3 reuniões a instalação das barreiras sanitárias, fiscalização e a aprovação do Protocolo ou Normas de Segurança para Hotéis, Pousadas, Similares e outros, para o combate ao Covid-19. Complementando o trabalho fizemos diversas reuniões de sensibilização, inclusive para os moradores e nativos, esclarecendo as dúvidas e ações que são necessárias para a reabertura. Também fizemos alguns cursos online, participamos de várias lives de diversas entidades do setor privado como Hotelnews, Viver de Pousadas, Sebrae, entre outras.

Portal da Cidade - Como será feito o controle sanitário desses novos procedimentos estabelecidos? Quais os órgãos responsáveis por esse controle? 

O controle de embarque ou entrada na ilha será feito pelos municípios envolvidos, Paranaguá e Pontal, com a participação do Estado pelo fato de ser Parque Estadual. A fiscalização e controle dos estabelecimentos deverá ser feito pela prefeitura de Paranaguá, que é a responsável pela área de ocupação das vilas da ilha e responsável pelas empresas cadastradas no município.

Portal da Cidade - A ilha continuará recebendo a mesma capacidade de 5000 pessoas/ dia?

A Ilha teve a sua capacidade de visitação reduzida em 50%, ou seja, agora serão 2.500 pessoas para a visitação diária.

Portal da Cidade - O que pode nos dizer que ficou de aprendizado em relação a esses 6 meses?

Segundo minha visão pessoal, a ilha sofreu com os mandos e desmandos de diversas entidades, muitas das quais desconhecem a realidade local. Sou a favor da autonomia administrativa para a Ilha do Mel.

Foto: Facebook/Carlos Gnatta


Fonte:

Receba as notícias de Pontal do Paraná no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário