Portal da Cidade Pontal do Paraná

VISTAS DO MEU PONTO

Litoral do Paraná, Cidades e Cidades ...

Os pontalenses desde o início da pandemia contaram com o bom senso e o equilíbrio do executivo municipal

Postado em 07/04/2021 às 17:58 |

Essa semana, após o anuncio do Governo do Estado do Paraná em manter o decreto das restrições do Covid vigente por mais duas semanas, também os municípios editaram seus novos decretos (ou estão ainda a editar). Logo, Pontal do Paraná flexibilizou um pouco mais, Matinhos nem tanto, e Guaratuba vem mantendo sua postura ainda mais conservadora. Como já escrevi em artigo anterior, não sei se há certo ou errado, nem sei quem vai prevalecer no embate, “se será a cruz ou a espada”, mas, sempre acreditei no bom senso e no equilíbrio.

Os pontalenses desde o início da pandemia contaram com o bom senso e o equilíbrio do executivo municipal, com medidas restritivas e entendimento da necessidade econômica, dentro do possível e da razoabilidade, a vida vem seguindo em frente, e Pontal do Paraná é o município com maior liberdade para o funcionamento do comércio e dos prestadores de serviços. Neste sentido, Matinhos e Guaratuba nem tanto.

Logicamente, entendo os posicionamentos dos prefeitos Zé e Roberto (mais conservadores), preocupados, especialmente com a saúde da população, tomam medidas que julgam (juntamente com sua equipe) serem as mais acertadas (e legais). E, de fato, só o futuro dirá se acertaram mais ou menos. Ah, neste sentido incluo o prefeito Rudão nesta mesma lógica, onde só o tempo demonstrará o certo ou o errado (mas, o parabenizo). Logo, cada um, dentro inclusive do seu entendimento legal (no que tange a obediência, ou não, do decreto estadual) e certamente conhecedores das suas realidades locais, com o poder a cada um deles investido, ditam as regras dos seus municípios.

Os comerciantes, consequentemente, em cada município reagem de formas diferentes, alguns estão um pouco mais aliviados com a liberdade para trabalhar, mais em Pontal do Paraná, outros, nem tanto, se revoltam contra o poder público (a exemplo de Matinhos e Guaratuba, menos e mais, respectivamente). Essa situação é que justifica de forma perfeitamente compreensível, a insatisfação dos empresários, pois, os CNPJs precisam ser sustentáveis para sustentar empreendedores e colaboradores (e, respectivamente, suas famílias), além de que, a economia é um ciclo, onde um comércio garante a sustentabilidade do outro a medida que o dinheiro circula, bem como, garante ainda o recolhimento de impostos e tributos para a manutenção dos serviços públicos.

Independentemente do certo ou errado, até porque realmente não temos como julgar isso neste momento, gostaria de humildemente, pedir a manutenção dos cuidados de biossegurança a todos os comerciantes do litoral, e vou além, gostaria de pleitear aos executivos de Matinhos e Guaratuba (especialmente Guaratuba) que ampliem seus horários para o funcionamento do comércio e dos prestadores de serviços, pois, a doença econômica/social também mata, e mata muito !

Fraternal abraço.


Roberto Stelmacki Junior :.

Cidadão Pontalense e do Litoral Paranaense

Professor, Consultor e Coach

Especialista em Geopolítica, Filosofia e História do Paraná

MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Mestre em Administração com Ênfase em Desenvolvimento Territorial

Presidente do ConSeg Pontal do Paraná

Vice-Presidente da ACIAPAR e Consultor da ACIMA e ACIG

Em Pontal do Paraná:

Secretário do Conselho da Comunidade

Membro do Conselho Municipal do Contribuinte

Membro do Conselho Municipal de Turismo

Membro do Conselho Municipal do Meio Ambiente

Membro do Comitê Organizador do PRODEC

Membro do Comitê de Crise Covid

Fonte:

Receba as notícias de Pontal do Paraná no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário