Portal da Cidade Pontal do Paraná

Volta as aulas

Deputados manifestam preocupação com possível retorno às aulas

Líder do governo garantiu, porém, que atividades só serão retomadas quando pandemia estiver controlada.

Postado em 04/08/2020 às 08:50

(Foto: Divulgação/SEED)

Parlamentares manifestaram, durante a sessão remota da Assembleia Legislativa do Paraná desta segunda-feira (3), a preocupação com um possível retorno às atividades escolares no Paraná devido a pandemia causada pelo novo coronavírus. Para os deputados que abordaram o tema, este não é momento para a volta de crianças e jovens às escolas. O líder do Governo, deputado Hussein Bakri (PSD), esclareceu o assunto, explicando que não haverá volta às aulas enquanto perdurar a questão sanitária. Ele esclareceu que o que estão sendo discutidos são os protocolos para o retorno.

Bakri foi categórico: “Não vai ter volta às aulas. O governador e o secretário de Saúde têm muita responsabilidade quanto a isso. O protocolo tem de ser discutido antecipadamente, mas todos entendemos dessa forma [que não deve retornar]. Neste momento, esta Casa vai ser ouvida. O governador não vai autorizar o retorno sem que esteja superada a questão sanitária”, completou líder do Governo. 

O líder da Oposição, deputado Professor Lemos (PT), criticou a Resolução Conjunta 01/2020, do Comitê “Volta às Aulas”, que trata do tema. Lemos disse que é preciso uma reavaliação do assunto. “A resolução pegou a todos de surpresa. Precisamos que o governo reavalie isso. A resolução joga a responsabilidade para os pais e professores”, disse.

A deputada Mabel Canto (PSC) concordou. “Já temos um protocolo para volta às aulas. Eu, como parlamentar e mãe, acho que não é o momento de voltar sem termos uma vacina que vá prevenir, dando segurança para crianças e jovens, profissionais da educação e para as famílias. É fácil a criança ir para a escola e voltar, infectando toda a família”, disse.

O entendimento é parecido com o do deputado Nelson Luersen (PDT). “As Secretarias de Educação e de Saúde devem discutir muito o assunto e avaliar. Entendemos as dificuldades da cadeia econômica da educação, mas ainda não é o momento. Todos estão fazendo sua parte com as aulas on-line. Não é o ideal, mas é o que temos para o momento. Se a partir de outubro houver uma queda grande nos casos de coronavírus, é a hora de discutir isso”, defendeu.

O deputado Artagão Junior (PSB) externou sua preocupação com a sinalização dada de retorno à atividade escolar no mês de setembro. “Nós não temos a condição. Essa sinalização causou muita preocupação na sociedade e entre a maioria dos deputados estaduais. Os protocolos são muito fáceis se serem colocados na teoria, mas vejo isso como sendo muito difícil na prática”, disse. Ele questionou se é possível aumentar o número de professores, caso as turmas sejam divididas. Também indagou como funcionaria o transporte escolar, devido à necessidade do aumento da frota para manter os alunos em distanciamento social. “Não temos condições de sinalizar uma data para o retorno às aulas com segurança”, completou.

O deputado Tadeu Veneri (PT) enumerou o contágio entre as crianças desde o início da pandemia, frisando que houve um crescimento de 56% nos últimos 30 dias. “Não é possível voltarmos às atividades nas escolas com qualquer tipo de argumento. Não há como se fazer. Precisamos de clareza para saber como vamos evitar o contágio de crianças, familiares e profissionais da saúde”, disse. “Não temos meios humanos para controlar isso. Enquanto não houver uma vacina, não é possível”, avaliou o deputado Soldado Fruet (PROS). 

Fonte:

Receba as notícias de Pontal do Paraná no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário